« Home | Para quem diz que só publico poucas vergonhas » | Olha, minha querida Cris, eu bem ... » | Somos nós Somos a vida escrita n... » | "Mamã, posso levar o teu carro hoje? 'Biga... » | Minha querida Raquel, Não sei como agradecer-... » | Raríssimas no Estádio da Luz a 12 de Fevereiro. . ... » 

23 fevereiro 2006 

Resposta à carta de 20 do corrente...


























Casablanca, 22 de Fevereiro de 2006

Minha Querida Titas,

Eu bem te disse que devias ter vindo comigo a Marrocos.Mas insististe que tinhas que ir a Roma, que tinhas que ir a Roma!...
Pronto!-pensei-Ela vai a Roma, eu vou a Casablanca, e, no regresso, encontramo-nos no cruzamento para o Bom Jesus, e comemos o nosso bolo rei escangalhado no laguito, lá em cima no parque.

Pois, mas isto de ir a Marrocos e não comer uns frutos secos, atirar-lhe com uns belos de uns sumos de laranja por cima, mais umas saladas que nem te conto, mais uns chás de menta, mais frutos secos, mais uns cus-cus, mais uns sumos de laranja, mais umas bejecas depois do sol por, claro, e depois mais umas tâmaras com um molho que puxa mais um sumito de laranja... Bom!...

Eras tu nas Europas, a tentar dar uma mija ao som da Avé Maria, e eu, a correr feita doida à procura de uma casa de banho.

Bendito Hotel!
Imaginas a tua amiga a passar disparada pelos guardas, passadeira vermelha fora?
Não?
Logo vi que não imaginavas!
Queria lá saber que fosse o Hilton ou a pata que o pôs ou que viessem não sei quantos guardas atrás de mim!...
Ou encontrava uma casa de banho ou ia ser um cataclismo em terras que D.Sebastião pisou (digo eu, que o mecito não se ficou por Qzar el Quibir, podes crer!...)jamais sentido por aquelas paragens!
Hei-la, finalmente!
Linda! Nem era preciso puxador de porta, mulher!
Aquilo era a casa de banho do Ali Babá (os quarenta ladrões vinham atrás de mim, pois, mas isso fica para outras núpcias...)
Olha, imagina-me numa sala, à procura da retrete (aqueles gajos com a mania de chamarem "retrete" à reforma, vou-te dizer...)
Com a minha aflição, nem uma de francês me saía. Saía-me era outra coisa ou não encontrasse eu a sanita depressa.
Et... Voilá!

Linda, dourada, refrigerada, com música que saía por baixo, por cima.Digna de um cú de rei (de rainha, neste caso, ou melhor, de princesa, que eu sou jovem, tu sabes!)

Nina, aquilo foi um momento único!
Regaleeeeeei-me...

Eis que quando me preparava para procurar o papel, esboço o gesto...e...(poupo-te os pormenores, como é evidente) sinto uma refrescadela nas partes pudengas, depois um ar fresco que me secou as ditas, e, o toque final: Um jacto de pó de talco perfumado!!!

Isto, Linda, pensava eu, merecia ser filmado.Nem tinha acabado de o pensar e ouvi um Zip!Tssssc!...Zip!...Tsssssc!...Zip...
Ela lá estava, a câmara, a filmar, ora de um lado, ora do outro, a tua querida Cris, calças para baixo, a rir à gargalhada.

Digo-te!A tua "cagadela" foi santa, mas a minha? (Que Alá proteja aquela casa de banho para sempre!) Foi das coisas mais sublimes que deixei em terras de Africa.

E com esta me despeço, por agora!

Encontramo-nos então no cruzamento para o Bom Jesus.
Eu levo o bolo rei escangalhado e tu, uma pinguita para empurrar, está combinado? Ah!Aproveita para trazer o tal do boneco de peluche...aquele, sabes? Que me mandaste uma amostra por mail!...

Desta que te adora,
Cris,

--------

da titas para Cris: raistapartam melher... caté se me descontrolou o músculo pubococcígeo!